Microsoft libera mais de 60 mil patentes para serem usadas no Linux

No dia 10 de Outubro de 2018, foi surpreendente para comunidade Linux e vindo de um “antigo inimigo de anos de combate”, a Microsoft através do seu blog anunciou a sua entrada ao OIN (Open Invention Network) com mais de 60 mil patentes para ajudar o Linux.

 

A Open Invention Network é um conjunto de patentes compartilhadas com a missão de proteger o Linux. Lançado em 2005, o OIN tem forte suporte do setor com o apoio do Google, da IBM, da NEC, da Philips, da Red Hat, da Sony, da SUSE e da Toyota.

Antes da entrada da Microsoft, o OIN contava com aproximadamente 1.300 patentes e com 2.650 membros contando com Google, IBM, Red Hat, Suse e Canonical (dona do Ubuntu).

No blog do Microsoft Azure, o Vice Presidente Corporativo Erich Anderson deu a seguinte declaração:

“Sabemos que a decisão da Microsoft de participar do OIN pode ser vista como surpresa para alguns. Mas não é nenhum segredo que houve atrito no passado entre a Microsoft e a comunidade de código aberto sobre a questão das patentes. Para outros que acompanharam a nossa evolução, esperamos que este anúncio seja visto como o próximo passo lógico para uma empresa que esteja ouvindo clientes e desenvolvedores e está firmemente comprometida com o Linux e outros programas de código aberto. “

Só para se ter uma ideia, até 2014 a Microsoft ganhou aproximadamente US$3.4 Bi referente a patentes só com o Android e que a Samsung pagou só para a Microsoft US$1 Bi para poder usar patentes pertencente a empresa do “Tio Bill”.
Keith Bergelt, CEO do OIN, fez a seguinte declaração sobre a entrada da MS e às suas 60 mil patentes:

“Isso é tudo que a Microsoft tem, e abrange tudo relacionado a tecnologias de código aberto mais antigas como para Android, Linux e OpenStack. E isso também inclui às novas tecnologias como a LF Energy e HyperLedger tanto às versões antigas como às novas.”

Esse movimento da Micosoft em se adentrar mais ainda ao mundo do open source e do Linux, é um bom sinal e mostra que a empresa está decidida em deixar a “rixa antiga” de lado e abraçar de vez o Pinguim, mesmo que possa trazer ceticismo de alguns setores da comunidade open source.

Outro ponto a se destacar, é a quantidade de patentes que foram agregadas ao OIN e que agora pode ser usada “sem medo” de algum processo judicial, isso é muito bom pois traz mais compatibilidades e muito provavelmente novas portas serão abertas, tanto para o Kernel quanto para o Android.

Se você quiser ver o anúncio na íntegra, pode ver no Blog do Microsoft Azure.

E se quiser também saber mais sobre o OIN, acessem o site deles.

Mas agora queremos saber o que você acha, nós diga aí nos comentários.

Um forte abraço e até a próxima.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*